Novo Design

O blog do Padre Sérgio está de cara nova. Veja todas as novidades.

LIVROS

Conheça todas as obras publicadas do Pe. Sérgio Jeremias. Acesse

MÚSICA

MÚSICA DE QUALIDADE AQUI NO BLOG.

Missas ao vivo pela CatolicaTV

Acompanhe as missas da paróquia de Vargem do Cedro ao vivo pela CatólicaTV. Clique aqui e confira.

Catequese com Pe. Sérgio

Conheça os vídeos do Pe. Sérgio. Catequese com bom humor e de uma forma inovadora. Acesse:

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

REFLEXÃO HOMILETICA PARA 17 FEVEREIRO 2017

 Perfeitos como o Pai

Nesse domingo, continuaremos o Sermão da Montanha.
Jesus nos coloca a essência do seu ensinamento:
O AMOR,
para sermos "perfeitos como o Pai".

O Evangelho apresenta mais dois exemplos (antíteses),
que mostram a novidade de Jesus em relação a antiga Lei:
Perdão em vez de vingança, e Amor em vez de Ódio... (Mt, 5,38-48)

1) PERDÃO: "Ouvistes: Dente por dente, olho por olho..."
    É a conhecida Lei do talião, que não pretendia autorizar a vingança,  
    mas limitar, proteger os direitos das pessoas contra os excessos da violência.  
    Não podia ser maior do que a violência original...
               A intenção era 

    EU: "Não ofereçais resistência ao malvado...":
   Jesus cita quatro exemplos de situações de violência:
             - Violência física:                Se te bater na Face direita à oferece a esquerda;
            - Injustiça econômica:          Se tomar tua túnica à dá-lhe também o manto;
            - Abuso do Poder:               Se mandar andar um Km à anda dois;
            - Empréstimo:                     Se alguém te pedir à não vires as costas.

Na lógica dos homens é uma loucura... O próprio Cristo diante da bofetada,
não ofereceu a outra face... mas protestou...
- A Lei antiga procurava limitar a violência, mas, na prática, justificava...

- JESUS: Não é suficiente...
                o Cristão deve ser um sacramento de amor e de perdão.

PERDÃO: é uma extensão do amor. Através do perdão,
o amor é confirmado e a paz se faz presente na relação humana.
A não resistência ao malvado rompe o ciclo contínuo da vingança.
- Perdão é cortar o mal pela raiz, extinguindo a maldade e o ressentimento.
  A dificuldade de perdoar impede o seguimento radical de Jesus Cristo
- Não é uma resignação fatalista, mas a não violência ativa do amor...
   (Exemplos: M.L.King, Gandhi, Dom Romero...)
- Suportar a injustiça não significa aprová-la, pode ser uma denúncia profética...
  = Amar como Deus ama é o núcleo do novo.
     Só assim podemos rezar o Pai Nosso: "Perdoai, assim como perdoamos..".

* O Espírito de vingança ("Talião" de hoje)
   está bem enraizado também em nosso coração:
   "Quem ri por último, ri melhor..."; "Não levo desaforo para casa..."

2) AMOR AOS INIMIGOS: "Ouviste o que foi dito:
Amarás o teu próximo, e odiarás (não é preciso amar) o teu inimigo..."

    EU: "Amai os vossos inimigos, e rezai pelos que vos perseguem..."
- Já no Antigo Testamento encontramos:
. "Não guardes ódio no coração contra teu irmão".
. "Não procures vingança, nem guardes rancor aos teus compatriotas".
. "Amarás o próximo como a ti mesmo..." (1ª Leitura Lv 19,1-2.17-18)

O texto esclarece que a "Santidade" que o Senhor exige
não se manifesta em formas de religiosidade  externa,
mas no amor ao irmão.
Mas na prática, o amor ao próximo se limitava só para os compatriotas...

- JESUS: amplia as dimensões da caridade: amar até os inimigos...
  Motivo: Uns e outros são filhos de Deus = irmãos...

A compreensão de que somos todos filhos do mesmo Pai e Mãe e
a percepção de que seu amor é sem limites leva à fraternidade universal,
à solidariedade e à partilha, vivendo-se com alegria,
tendo como meta a união e a paz.

E nos apresenta um Modelo: O Pai Celeste:
"Sede perfeitos como o Pai celeste é perfeito..."
A Imitação de Deus, na sua perfeição ou santidade,
concretiza-se no amor manifestado também ao inimigo.
Trata-se de um amor gratuito e desinteressado,
que supera a restrição à religião e à raça.
"Desse modo vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus".
O amor sem distinção possibilita fazer a experiência de filhos,
reproduzindo na terra a bondade do Pai celeste,
que "faz nascer o seu sol sobre maus e bons,
e faz cair a chuva sobre justos e injustos."
O amor leva a superar o espírito de hostilidade, a vingança, o ódio e o rancor, para construir a fraternidade.

Só assim nos tornamos verdadeiros filhos de Deus...
- "Se amais aos que vos amam... que recompensa tendes?
    também os publicanos (pecadores) o fazem..."
- "Se saudais os vossos irmãos... Os gentios também o fazem..."

* Será um programa realizável? Ou uma Utopia para sonhadores, uma loucura?
Muitos cristãos provaram pelo seu testemunho heroico que é possível...

A 2ª Leitura responde que é uma loucura para os homens,
mas é "Sabedoria" para Deus. (1Cor 3, 16-23)

+ Temos inimigos a perdoar e rezar por eles?
+ Pessoas que não gostamos ou que não gostam de nós?
+ Qual a nossa atitude para com elas?

+ A Eucaristia que celebramos é de fato

    um gesto de COMUNHÃO com Deus e os irmãos? (B N AGUAS)

sábado, 11 de fevereiro de 2017

LITURGIA DE DOMINGO 12 FEVEREIRO 2017

O Cristão e a Lei

A Liturgia de hoje nos dá a oportunidade de refletir
sobre qual deve ser a atitude do cristão diante da LEI DE DEUS.
Para muitos, é um tabu, uma série de proibições,
que desaprovam muitas de nossas atitudes ou ações...
- Será esse o verdadeiro sentido dos Mandamentos?

A 1a Leitura apresenta Deus propondo os Mandamentos ao Povo de Israel,
num clima de aliança... E o povo acolhe unânime. (Eclo 5,16-21)

* Para o povo de Israel, o amor e a fidelidade à Lei
constituem toda a justiça e a santidade... apesar de muitas infidelidades...
Mas, com o passar do tempo, reduziu a Lei a uma observância
puramente externa, sem uma convicção interior mais profunda...

No Evangelho, CRISTO censura tal atitude e aponta a verdadeira justiça.
"Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos escribas e fariseus,
não entrareis no Reino dos céus!" (Mt 5,17-37)

* Não é suficiente uma fidelidade material e externa da Lei...
A Lei foi criada para garantir e preservar a vida,
e não usar a vida para garantir a lei.

E apresenta 6 exemplos concretos.
São Antíteses: "Ouvistes o que foi dito... EU, porém, vos digo..." 
mediante as quais ele proclama o sentido da nova Lei.
Hoje são lidas as primeiras quatro, referentes aos temas:
Homicídio, Adultério, Divórcio e Perjúrio.
As última duas: Perdão no lugar  de vingança (Lei do talião) e
e o Amor ao inimigo, em invés de ódio, fica para o próximo domingo.

1) HOMICÍDIO: "Ouvistes: Não matarás...
                              aquele que matar terá de responder em Juízo..."
EU: "Todo aquele que se encolerizar contra seu irmão,
         terá que responder em  juízo..."

CONDENA: todo tipo de morte: calúnia... mentira... fraude... ofensa...
                      Matar lideranças, não dando espaço na comunidade...
                      E o ABORTO?
(Se houvesse um Raio X capaz de mostrar o cemitério
que criamos dentro de nosso coração, nós nos assustaríamos...
Quantas pessoas estão mortas, para nós!)
Matar é um processo que tem início, meio e fim... Precisa não começar...

2) ADULTÉRIO: "Ouvistes: não cometerás adultério..."
                               (eram bem mais severos para as mulheres).
EU: "Quem olhar para uma mulher com desejo desonesto...
         já pecou em seu coração".
CONDENA: Não só o ato consumado de adultério, mas também o desejo...
                      o adultério de coração.... certas amizades já são adultério...
Precisa não dar início ao processo que leva ao fato concreto...
 Não basta manter escondido da esposa ou do esposo as infidelidades.
"Se teu olho for ocasião de queda... corta-o"...
Não devemos tomar ao pé da letra, mas significa radicalidade.

3) DIVÓRCIO: "Ouvistes: Aquele que repudiar sua mulher,
                          dê-lhe um certificado de repúdio".
           A lei de Moisés "tolerava" o divórcio em certos casos (união ilícita),
           para preservar a mulher nesses casos: direito de igualdade.
EU: "Todo aquele que repudia sua mulher, faz com que ela adultere:
         E quem se casa com ela, comete adultério".

CONDENA: O Divórcio anula a tolerância da Lei mosaica...
                     e afirma a indissolubilidade do vínculo matrimonial...
        * Qual nossa Atitude Pastoral, hoje, para os separados, e os de 2ª União?

4) JURAMENTO: "Ouviste: Não jurarás falso...”
EU: "Não jureis de modo algum... Vosso SIM seja SIM, vosso NÃO, NÃO.
         Tudo que for, além disso, vem do Maligno..."

CONDENA: A falsidade... e proclama a caducidade do juramento.
E por que precisa jurar?

A única garantia da palavra dada é a verdade e a sinceridade dela.

O Sermão da Montanha nesse trecho nos ensina que a vida espiritual
não está num catálogo de normas perfeitas que proíbem as más ações,
mas limpeza da fonte de todas as ações: o coração.
Pois dele procedem assassínios, adultérios, prostituições,
falsos testemunhos e difamações.

O Salmo afirma: "Feliz quem tem vida pura e segue a Lei do Senhor".

Na 2ª Leitura, Paulo fala da "Sabedoria de Deus",
tão diferente da dos homens.  (1Cor 2,6-10)

E NÓS, como observamos os Mandamentos?
- Com o espírito do Antigo Testamento?  
  (fazer isto ou aquilo porque é lei, porque é "obrigado" ?
- Por que vou à Missa? Porque é um preceito?

"Se a justiça de vocês não for maior que a dos escribas e fariseus...
  vocês não entrarão no Reino dos céus".

"Quem me AMA, guarda os meus mandamentos..."
 Seja a nossa observância uma expressão sincera e profunda

 do nosso amor para com Deus.       (B N  AGUAS)

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

HOMILIA 5 DOMINGO TEMPO COMUM SAL DA TERRA E LUZ DO MUNDO

"Sal e Luz"- 5º. Domingo TC

Continuando o Sermão da Montanha,
JESUS mostra, mediante dois símbolos,
o compromisso no Reino de Deus:
ser: SAL DA TERRA e LUZ DO MUNDO.

A 1ª Leitura apresenta as condições para ser Luz.
Não basta o cumprimento de ritos estéreis e vazios,
precisa o compromisso concreto que leva o homem a ser
um sinal do amor de Deus no meio do povo. (Is 58,7-10)

A 2ª Leitura avisa que ser "Luz" não é colocar a sua esperança de salvação
em esquemas humanos de sabedoria, mas identificar-se com Cristo. (1Cor 2,1-5)

No Evangelho, Jesus define a identidade de seu discípulo:
deve ser "Sal da terra e luz do mundo". (Mt 5,13-16)

+ Para que serve o Sal?

  - Para dar SABOR à comida e CONSERVAR os alimentos...
    O que o Sal é para a comida, o cristão deve ser para o seu semelhante:
     * Tornar a Religião apetitosa e agradável...
        Ser o tempero que dá o gosto pelas coisas de Deus,
        que dá o sabor à vida, com seu entusiasmo, seu otimismo,
        sua alegria nascida de Deus, fonte de todo bem.
     * Ser um elemento que preserva o mundo de hoje da corrupção...

- Sua PRESENÇA na comida é discreta, mas atua eficazmente.
  O sal se dissolve completamente nos alimentos e se perde em agradável sabor.
  (Só se nota quando há de mais ou quando falta).
  * Assim o cristão: Ser sal da terra, humilde, derretido, saboroso,
     que atua de dentro, que não se nota, mas é indispensável.

- O Sal jamais PERDE A QUALIDADE de sal...
  * Os cristãos podem fazer o sal perder seu sabor:
      tirando o sabor da mensagem de Jesus, das exigências do evangelho...
      E o que fazer deles? "De nada mais serve senão ser jogado fora..."

E Cristo reforça essa verdade, ilustrando com outra figura:
"Vós sois a LUZ DO MUNDO".

+ O que é a Luz para nós?
    Sinal de vida, de calor, dinamismo, trabalho...

- Na Bíblia: a Luz tem um significado muito rico...:
  * Na criação: A Luz recorda o 1o ato do Criador...
  * No Êxodo do Egito, a Coluna de fogo guiava o povo para a Terra Prometida.
  * Isaías: O Servo de Javé: "Luz das nações".
  * Jesus: "Eu sou a Luz do Mundo; aquele que me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida".

A Luz por excelência é o esplendor do Pai...
É a Luz que dá sentido à vida, à dor e à própria morte...

- E Cristo não quer ser Luz sozinho:
  Por isso, nos convida a também nós sermos LUZ:
- A Luz do Círio batismal é um símbolo de nossa fé em Cristo...
    
+ Para que serve a Luz?

- Para mostrar o caminho... as belezas presentes na natureza.
   Sem a luz não as enxergamos...
  * O cristão deve ser uma luz acesa apontando
     os caminhos da vida, da liberdade, do amor, da fraternidade...
- Para iluminar os objetos,
   não para ser olhada em si mesma... nem para ficar escondida...

  * Cristão não a "Luz", mas um "reflexo da Luz",
     que mostra as coisas bonitas que a ação de Deus realizou em nós.
     "Assim brilhe a vossa luz diante dos homens... para que vejam as vossas
      boas obras e glorifiquem o Pai que está no céu". (Mt 5,16)

O discípulo não deve preocupar-se em atrair sobre si o olhar dos homens,
mas deve preocupar-se em conduzir o olhar e o coração dos homens
para Deus e para o Reino.     
Devemos enxergar "as boas obras" e glorificar o Pai (não a nós).

+ Ninguém é Luz por si próprio: é ligado a uma FONTE geradora:

   * Como a Lâmpada depende do Gerador,
      assim nós dependemos do gerador que é Cristo para iluminar.
      E iluminamos na medida em que estivermos ligados ao Senhor.
      Essa união se faz pela meditação da palavra de Deus,
      pela comunhão eucarística e pela oração...

+ Essa é a nossa Missão:
         Ser Sal da Terra e Luz do Mundo...

         SAL  que preserva da corrupção e dá gosto das coisas de  Deus...
         LUZ  que ilumina e se consome a serviço dos irmãos,
                    iluminando o caminho que leva ao Pai...

Os verdadeiros discípulos de Cristo dão cor e sabor a este mundo...
Se não, serão INÚTEIS... jogados fora...

Peçamos a Deus muita LUZ para compreender essa missão e
                           muita FORÇA para sermos de fato:
                            - Sal da Terra e
                            - Luz do Mundo... (B.N.AGUAS)